Marlene Crespo

Os Bordados de Marlene Crespo De 2004 à 2016

19 de fevereiro de 2020 a 21 de março de 2020  abertura 19 de fevereiro de 2020 às 18h00



Marlene Crespo

Os Bordados de Marlene Crespo De 2004 à 2016

Com uma obra figurativa e simbólica, repleta de grafismos,  Marlene Crespo conserva uma identidade própria e brasileira. Desligada de rótulos e tendências, sem perder de vista o seu momento histórico, a artista participou do II Salão do Jovem Desenho Nacional em 1965 e a IX Bienal Internacional de São Paulo em 1967, entre tantas outras mostras. Nos anos de 1970 e 1980 integrou, em São Paulo, um grupo de artistas que lutaram contra a ditadura militar, desenhando para publicações e jornais de oposição. Gravurista a partir dos anos 1980, desde sempre ligada ao desenho, dedica-se, a partir de 1993, também à arte têxtil a qual, nos últimos anos, se tornou prioritária. Já publicou livros de histórias e poesias ilustrados e  traduzidos para várias línguas. Marlene tem 87 anos, mora em São Paulo, é natural de Campos, RJ, e licenciada em Letras Neolatinas pela Faculdade Nacional de Filosofia, no Rio de Janeiro. Em 2016 recebeu o Prêmio Incentivo na 13ª Edição da Bienal Naifs do Brasil, promovida pelo SESC Piracicaba. Pela primeira vez reunimos uma série de seus trabalhos exclusivamente têxteis, mostrando a força e vitalidade de uma artista essencial na história da arte brasileira.

Exposição de 19 de fevereiro a 21 de março de 2020

http://marlenecrespo.com/ 

… Um interesse inegável reside nos emaranhados lineares traumáticos de Marlene, especificamente surrealistas nos meios de substituir a realidade pela presença do abismo interior. É uma artista fora de rotina de cuja carga emotiva podemos esperar desenvolvimentos apreciáveis. 

Walter Zanini, na apresentação da coletiva Artistas Gaúchos, no MAC, São Paulo, SP, 1966